#Minha internet caiu!

Por: Marccella Lopes Berte, Brasilia

No Brasil, quando se faz uma campanha, defende-se uma idéia em conjunto, ou a expressão coletiva de uma mensagem por meio do twitter chama-se twitaço. Ontem era fácil perceber na timeline que era dia de twittar usando o símbolo do jogo da velha e a frase “minha internet caiu” . A ação tinha como objetivo pautar o Plano Nacional de Banda Larga – PNBL estratégico para as políticas de inclusão digital no país e foi organizada pela “campanha banda larga” realizada por uma série de organizações e movimentos sociais.

As frases com no máximo 140 caracteres defendiam, o direito à comunicação e o acesso universal à banda larga. Twittadas e retwitadas, ou seja, as frases transmitidas e retransmitidas por seguidores e seguidores dos seguidores organizavam uma verdadeira onda de mobilização em torno da idéia de que a sensação de ter sua internet interrompida também é a de ter seu direito obstruído. Os twitteiros progressistas querem um Plano Nacional de Banda Larga coordenado pela Telebrás e não pelas Teles privadas, ou seja, pelo monopólio das telecomunicações. “A minha internet caiu no colo das teles” era a expressão irônica, que funcionou como um alerta às autoridades, em espec ial ao Ministro das Comunicações, Paulo Bernardo.

“O governo está prestes a fechar acordos que trazem benefícios para as empresas de telecomunicações sem a imposição de controle tarifário, metas de universalização, parâmetros suficientes de qualidade e gestão pública das redes” dizia o manifesto do tuitaço  . Nas redes sociais as defesas eram pela abertura de uma discussão pública sobre o PNBL acerca das reais necessidades do país acerda da expansão da banda larga, com visão de longo prazo pensando no desenvolvimento do país.

É preciso de um serviço de banda larga em regime público, com metas de universalização, controle de tarifas, garantia de continuidade e qualidade. “No Brasil, temos uma das piores e mais caras Banda Larga do mundo” diziam os Twitteiros. “Minha internet caiu e caiu no colo das teles” foi a expressão que traduziu muito bem o dilema pelo qual passa o PNBL. O dia foi de muito ativismo na internet, os twittes partiam de diversos setores, mas em especial dos militantes pela democratização dos meios de comunicação. Entre marchas organizadas pela internet e intervenções organizadas no twitter, a revolução digital é realidade e expressão da cidadania no país.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión / Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión / Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión / Cambiar )

Google+ photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google+. Cerrar sesión / Cambiar )

Conectando a %s